Report do Campeão da Copa BS


Fala ae !!!

Dessa vez nada de reviews. Enquanto aguardamos mais spoilers de Forças Estelares, eu “LG” trago à vcs o report do Campeão da 2ª COPA BS que rolou nos dias 19/03 e 25/03.

Para esse report vou falar sobre o torneio em si, formato que foi utilizado, os decks que montei e um pouco de todas as partidas necessárias para levar o caneco para casa.

Começando pelo torneio. Diferentemente da tradicional LIGA, a COPA BS é um evento de curta duração, onde os jogadores são separados por grupos e os melhores se juntam num Top para decidir o campeão.

Nessa segunda edição, após algumas desistências de última hora, foram formados apenas dois grupos de 06 jogadores que enfrentavam todos os adversários do outro grupo, e a classificação para o TOP 8 ficou para os 02 melhores de cada grupo mais 4 da classificação geral.

O formato “Guerras Secretas” restringe um pouco a elaboração dos decks se comparado com o formato Padrão, ao mesmo tempo em que permite decks mais livres do que os Tribais. Basicamente é um formato de lados opostos: um deck só de Vilões x um deck só de Heróis.

Mas quem define qual deck cada um usaria? Simples, utilizando a técnica bem antiga de “bola” ou “campo”. Num cenário atual em que todos querem começar a partida, pq não deixar os jogadores em dúvida.

Então, quem ganhava no dado escolhia entre começar o jogo ou o lado que jogaria. Nessa hora era engraçado ver os jogadores pensando nas possibilidades. Alguns faziam questão de começar o jogo, outros tentavam identificar pontos fracos nos oponentes para ver qual a melhor opção, outros escolhiam simplesmente o deck que pilotava melhor.

Enfim, é um formato que ignora os ”mirrors” (agora não mais pq mudaram a regra de alter ego), e sempre foi bem vista aqui na região. Para quem gosta mais de BS do que somente a busca pelo Meta, pode experimentar que não tem erro. Qualquer dúvida nas regras que utilizamos, clique no logo da Copa.

Agora vamos falar um pouco dos decks:

Uma coisa que eu gosto de fazer é montar os decks e levar no torneio sem testar. Claro que fazendo isso vc acaba não tirando o máximo do deck, mas por outro lado vc vai se testando com as diferentes situações e aprendendo a lhe dar com elas com o que tiver.

No primeiro dia escutei muito que ninguém levaria Inumanos pq era impossível jogar sem o Maximus. Então fui obrigado a testar se essa “máxima” era verdadeira.

Já o deck de Vilão foi outro teste, mas agora somente para mim, pois não estou acostumado a usar Titã com Shuma e Dormammu. Por outro lado como era um torneio de Batalha Infinita, tentei me refugiar com o Portal, Reestruturação, Mystério e Adagas, que são cartas que uso bem mais.

Sobre os jogos...

Dia 19/03:

Logo de cara joguei contra grande amigo Tiago “Bulls” (9º colocado no Royal 2016). Ganhei no dado e tive que tomar a decisão. Como não tinha colocado União Inabalável no deck de Inumanos e imaginando que ele viria com Adagas e Portal, resolvi deixar a Máquina de Bloqueio de lado e ir de Vilão.

A ideia não deu muito certo.... kkk

Ele abriu muito bem a partida, vários personagens, tecno e etc. Sem muita opção sai descartando quase todas as cartas da mão para poder fazer Cassandra, Selene + Joia da Alma e Cassandra dos recursos. Mesmo assim não adiantou. Foi duro de ver o Cavaleiro preso acertando personagem em todas as passivas. No fim da partida, eu tentei esconder os 15 pontos ao máximo, mas ele acabou levando o Dormammu, Shuma e as Cassandras fechando 20 pontos.

Resultado: LG x Tiago “Bulls” (8 x 20)

Segundo jogo foi contra o Marcos. Ganhei no dado de novo e escolhi jogar com Inumanos, imaginando que ele não fugiria dos seus princípios. Engano meu. Ao invés de I.M.A. ele estava de Ordem Negra (wtf). Não lembro exatamente como foi o começo do jogo, mas sei que consegui aproveitar a lentidão do deck dele e aos poucos fazer meu jogo. Abusei das Amarras e Medusa. Depois baixei a Máquina e não tinha mais como ele voltar para o jogo.

Resultado: LG x Marcos (17 x 0)

No terceiro o Yuri escolheu ir de Vilão o que acabou sendo, praticamente, um remach entre Ordem e Inumanos. Lembro que logo de cara tomei uma tumba no personagem, e como a cena não estava tão agressiva, pois apenas dois personagens dele antecipavam, arrisquei evoluir com o Capitão para prolongar o jogo até fazer mais recursos. Infelizmente, fui “surpreendido” com um Desastre no Corvus e vi o Capitão tomar 10 de dano com a ajuda da Refração. Por sorte ele acabou ficando rapidamente com uma mão restrita e não aguentou o mid game forte dos Inumanos.

Resultado: LG x Yuri (15 x 10)

Último jogo do dia foi contra o Eliezer. Depois das vitórias com o deck de Inumanos e vendo que estava conseguindo me manter nos jogos mesmo sem o Maximus, não tive dúvida. Ganhei e escolhi jogar a terceira partida seguida de Inumanos. Peço desculpas para ele pq realmente eu não lembro de muitos detalhes. Mas, uma coisa foi certa. O jogo ficou bem favorável para mim quando ele matou um Inumanos. Essa jogada fez o Raio Negro bater 4 penetrante no Alto dele na sequencia. Depois foi só continuar controlando e ir finalizando os outros.

Resultado: LG x Eliezer (17 x 03)

Final do primeiro dia terminei em segundo do grupo com 3 vitórias e 1 derrota.

A semana se passou, e no domingo fiquei imaginando o que aconteceria. Eu já sabia todos os decks e duvidava que mais alguém além de mim seria maluco de mudar tudo.

Então, pensei na carta mais forte do jogo atualmente e fiz dois decks com elas. Planos de Infiltração. Uma carta que já era bem forte na época de Investigação Silenciosa e do Suborno, mas que agora ficou praticamente essencial. No deck de Herói fiz uma combinação de Amarras com Surpresa Dolorosa que dá muita vantagem no jogo atual. E no de Vilão fui de Seduzir com Inutilizar, que tem se mostrado bem eficiente também.

Dia 25/03:

Faltavam 2 jogos da primeira fase. Começo jogando com o Shark. Ganhei no dado e pensei que teria vantagem no confronto dos Inutilizar contra os suportes da Shield.

Nos primeiros turnos o jogo foi bem isso mesmo. Usando dois Inutilizar já tinha feito 11 pontos só de suporte. Acontece que um jogo que parecia controlado, uma vez que só faltavam 4 pontos e ele tinha um Homem-máquina em cena, do nada fica de cabeça para baixo. A chegada da She Hulk junto com mais um Avião Shield me obrigou a pensar três vezes a cada jogada. No sufoco consegui segurar seus ataques e pude finalizar a partida com um dos personagens que mais gosto, o Mercenário.

Resultado: LG x Shark (18 x 13)

O último jogo da primeira fase foi contra o Will, famoso por levar a grande maioria dos torneios Oficiais COPAG por aqui. Ele ganhou no dado e escolheu começar. Como nós dois já estávamos classificados para o Top 8 e tive a opção de escolher, resolvi testar meu deck de Heróis.

O Will não fez a tradicional abertura explosiva com o seu deck de Ordem Negra e ainda teve muito azar nos drops com as passivas do Corvus, Batedores e investigação. Isso me permitiu dominar a mesa com várias antecipações. O jogo acabou sendo bem rápido e atípico que terminou com a Supergigante sendo rendida no final, pois não havia mais o que fazer.

Resultado: LG x Will (15 x 0)

Acabando a fase de Grupos fomos para os confrontos diretos. Terminei 5/1, líder do meu grupo e no sorteio dos demais que passaram cai novamente contra o Shark.

Quartas de Final:

Dessa vez perco no dado e o Shark escolhe ir com os Vilões. Começo, abro com Cho, Planos e Descobertas no intuito de comprar bastante carta no meu turno também. Na sequência tomo Mercenário, além de Mystério e Alto em cena. Na volta faço mais um Cho com planos e Decisão no Mystério. Desço uma galera, busco ainda mais personagens com Planos e de quebra batendo Cólera. O jogo complica para o Shark. Ele fez o que dava, buscas no deck, desce Vetor e Drácula, mas a essa altura não tinha muito mais o que fazer contra minha antecipação.

Resultado: LG x Shark (17 x 1)

Semi Final:

Na semi final por coincidência os melhores de cada Grupo se enfrentaram. Enquanto o Bulls x Will estavam no outro lado da chave, eu enfrentei o segundo melhor colocado do meu grupo Felipe Felcom.

Eu estava me sentindo bem com o deck de Herói e os estragos que o Cavaleiro estava fazendo me impressionavam a cada partida. Ganhei a disputa e continuei com os Heróis.

O jogo começa meio torto. Felcom resolve trocar a mão comprando apenas 8 cartas e passa. Por alguns instantes fiquei muito confiante. Adversário com menos cartas que poderia começar a partida e não o fez. Não tive dúvida, mesmo sem uma mão forte fui para o jogo. No turno dele é que veio a surpresa. Ele desceu muita gente, fez emboscada, drops dos Batedores e Corvus, Fauce, duas facções, Shurikens, buscas com Planos e por último um Mystério pegando União. Quando isso aconteceu eu olhei para a Surpresa Dolorosa na minha mão e já fiquei triste. Mas segue o jogo. Fiz ele gastar de cara o cenário pq sabia que o Cavaleiro iria continuar batendo na passiva. Tava difícil identificar quem eu devia matar. Ele pelo contrario focou todas as forças no Cavaleiro. Foram necessárias 2 enfermeiras para prolongar sua estadia em cena. No último turno o jogo já estava empatado em 13 x 13. Sabia que ele tinha um Seduzir uma Supergigante na mão. A Cassandra travava a Esperança, Mercenário capacitado em 1 e os batedores e Corvus em 0 depois das Amarras. Na antecipação ele só precisava levar meu Motoqueiro, o que seria possível com o Mercenário + Facção (o Seduzir lhe daria a capacitação que faltava para qualquer outro personagem). Começo o turno e compro a Câmara Neutralizadora. Faço as contas, marco o Fauce que estava carregando a Facção. Ele faz Seduzir, bloqueia o ataque do Homem Aranha, e faz Mercenário bater 2 no Motoca. Com 1 carta restando nele consigo finalizar um batedor capenga falando Supergigante e fim de jogo. Que jogaço. Foi por pouco Felcom, valeu mesmo!!!

Resultado: LG x Felcom (15 x 13)

Final:

A final reservara uma revanche. Justamente entre os amigos que jogam Card Game juntos desde 1994. Tamo velho Jedi... kkk

O Tiago “Bulls” havia passado pelo Will. Era o único invicto do torneio. Eu só tinha perdido a primeira partida justamente para ele. Ganho no dado e escolho Heróis. Seria a minha oportunidade de devolver todo dano que o Cavaleiro fez no primeiro jogo (XD).

Começa o jogo e ele abre com Mystério buscando Decisão. Ainda era o primeiro turno e já tinham 2 Adagas dando o ar da graça. Vou atrás, faço Cho, Cavaleiro e Demolidor. Minha mão estava boa. Turno seguinte ele faz o maluco. Sai descartando carta, baixa Tumba no Demolidor, Portal, usa Decisão no Mystério e vem de Dormammu com Adagas e leva o Cavaleiro. O Demolidor faz o que se espera dele, bate 4 e agradece o Portal. Meu turno, dou Retirada no Demolidor e desço novamente. Ele tira um Fantasma da manga, refaz a mão. O jogo aperta. Ele estava com o Dormammu e Mefisto com 3 cartas graças ao Demolidor. Nesse momento eu já estava com o Capitão Bucky me ajudando nas incapacitações e mais um Cavaleiro na mesa. Com duas Amarras na mão fui surpreendido com a Câmara. Quase que tomo a virada ali. No final já com o Mefisto morto, consegui bater com os 3 personagens fechando os 6 que precisava no Dormammu que ainda levou meu Demolidor de quebra com a passiva do Drácula.

Resultado: LG x Tiago “Bulls” (16 x 10)

Bom, para quem conseguiu ler tudo, espero ter gostado!!! Fico por aqui e volto assim que tivermos mais cartas de FE...

Abs

#CopaBS #GuerrasSecretas #Report #Torneio

254 visualizações

cecathionline.com